Textos, provas e desmentidos. Memórias, crônicas e declarações de amor.
Contato:isasantos_ctba@hotmail.com

Install Theme

(Fonte: pornonpaper)

(Fonte: pornonpaper)

(Fonte: pornonpaper)

I must kill memory once and for all,
I must turn my soul to stone,
I must learn to live again—

— Anna Akhmatova, from “The Sentence" in Complete Poems, trans. Judith Hemschemeyer (via proustitute)

(via tierradentro)

pieces of me.

Ausência

Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar teus olhos que são doces. Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres eternamente exausto. No entanto a tua presença é qualquer coisa como a luz e a vida E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto e em minha voz a tua voz.
Não te quero ter porque em meu ser tudo estaria terminado. Quero só que surjas em mim como a fé nos desesperados. Para que eu possa levar uma gota de orvalho nesta terra amaldiçoada. Que ficou sobre a minha carne como nódoa do passado. Eu deixarei… tu irás e encostarás a tua face em outra face.
Teus dedos enlaçarão outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada. Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu, porque eu fui o grande íntimo da noite. Porque eu encostei minha face na face da noite e ouvi a tua fala amorosa. Porque meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço. E eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado. Eu ficarei só como os veleiros nos pontos silenciosos. Mas eu te possuirei como ninguém porque poderei partir. E todas as lamentações do mar, do vento, do céu, das aves, das estrelas. Serão a tua voz presente, a tua voz ausente, a tua voz perenizada.

Apesar de tudo, eu quero tudo. Quero ter voz, traços que falem, palavras que retratem imagens, amores…Eu quero tudo. Tudo que alcanço.

Sofrer por amor

O amor não faz ninguém sofrer. Amor só faz bem.

O que nos trás sofrimento tem outro nome. É a falta dele, a dependência do outro, a possessividade, o rancor, o ódio, ciúmes, inveja, a perda, a saudade, a indiferença.

O sofrimento está entre mil coisas…E entre mil coisas, tenho certeza, que não está o amor.

Dos nossos epaços

Esqueça suas dores, seus desencontros, e tudo que não pode entrar na sua alma.

Deixe de lado aquilo que não coube, nem irá caber nos seus sonhos. Defina o que ocupa o espaço dentro de você.

Se não conseguir ampliar nada aí. Quando decidir fugir. Se precisar sair, ou quiser sumir. Aqui, a casa é sua e sobra espaço.

Você sabe como chegar.

Cuidado.

Não, eu não sou fácil. Tenho uma mania de eu. exijo muito e não tolero nada por ninguém. Veja bem, tome cuidado, por muito pouco eu me afasto. Possuo regras e limites. Ultrapassar é muito simples. Quase ninguém percebe. Uma palavra é capaz de me ter longe pra nunca mais. Olha eu sei, e repito: não é fácil. Lidar com o meu amor próprio. É que eu me ponho sempre em primeiro lugar. Não engulo nada que eu não gosto, só pra agradar. Sigo todas as minhas vontades e haja vontades pra saciar. Se quiser vem junto, só não prometo te aguentar pra sempre, porque além de tudo, eu enjoo rapidamente.

Reflexão sobre declarações de amor

Hoje, em uma conversa casual, fui indagada: “Já fizeste uma declaração de amor?”. Lembrei-me logo dos textos e poesias tão frívolas que fiz à pessoas passageiras, sem nenhuma resposta. Por isso disse: “Não me recordo”. Pura vergonha, claro. Quem se orgulha de se declarar em vão?

Em seguida, veio outra: “E já recebeste uma?”.

Imediatamente neguei.

Continuei a pensar. Nenhuma carta de amor, poesia, nenhuma promessa de amor eterno foi feita para mim, nunca recebi nada. Porém, uma vez…recebi uma flor. De um menino adolescente como eu, na época. Um desconhecido que me abordou na esperança de ganhar um beijo meu com ela. Não convenceu-me, mas guardei-a. Era bonitinha, arrancou de algum jardim.

Seria uma forma de declaração? De certa forma ele declarou através dela: “tu és bela, desejo beija-la”. Se seguir tal linha de raciocínio, incluiria também as vezes em que recebi cartas de amigos. Quantas declarações sobre nosso afeto dentro delas?

Eu sei, não seriam os tipos de declarações que o indagador se referia, de amor romântico, paixão ou desejo. Mas e as declarações de amor amigo, fraternais, ou as pequenas declarações que a vida faz pra mim todos os dias. Talvez eu deva ter recebido mais declarações do que eu penso.

Vale aquela flor? Ou aquele convite pra me levar pra cama? Quiçá um certo sorriso diferente contido de felicidade por me ver, um determinado abraço saudoso, olhares recheados por admiração, que eu senti dentro  de  um atento observar-me. Um suspiro.

As declarações que escorreram pelo rosto de alguém, embalaram-se em acordes de alguém, ou foi embora com o fim do som de um riso sincero. 

Aquelas nas quais não foram feitas de palavras, pois não precisaram ser ditos. 

Alguns gestos podem falar, se a gente estiver atento.

Por isso eu tenho agora, em particular, que, de certa forma, já recebi, sim, não só uma, mas várias declarações. E que, nenhuma declaração é em vão.

Não 

                   talvez bem,

seja     

                                                                        êɔoʌ.

Acordei com a vida escabelada

E as idéias amassadas.

Incubus

Music is one of the most universal things that exist. It’s hard to find someone who does not like music, at least I never found. And you should probably have a favorite song or artist. I’m no different, my favorite band called Incubus. It was born in California in 1991. But came into my life in 2008. I’ll Tell you a little about the relationship I have with this band.

Once I was in one of the worst I’ve lived. Incubus made ​​me find my essence, motivating me to live and find my soul.

I learned to live better after them.

Incubus taught me to count my blessings, never let life pass me by. Experience the warmth before I grow old. That love hurts, but to be there with open arms and open eyes, for whatever tomorrow brings. Taught me to be born free is my privilege.

That we must learn to love each other before it becomes illegal. And do not let the world bring me down because not everyone here is that fucked up and cold.

They were the voices that lets me know that everything I know is wrong, held my head up, ‘cause there’s so much more to get than wronged. To forgive myself and feel the water over me.

I did not discover a band, I discovered a new way of seeing life. I learned more than Buddhism, art, and music. Incubus reinvented myself gave me strength and inspiration mainly.

Incubus taught me to live more harmoniously on this world, I just love this band.

Incubus

—I Miss You

(Fonte: cnsmith, via fuckyeahincubus)

Anônimo asked: Como eu poderia fazer pra conseguir conhecer melhor você?

tem meu contato aqui na descrição do blog